I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Charge

Sabrina Cristo 

Debate

Cley Medeiros

 

Enquanto o mundo segue acompanhando as ações destruidoras do patrimônio histórico da humanidade do grupo que se autointitula 'Estado Islâmico' (EI), no norte do Iraque, as perguntas que surgem é porquê, pra quê e como tudo isso foi acontecer.

A função do terrorismo nas narrativas jornalísticas

No alvo da mídia

Luana Telles

 

Liberdade de expressão em crise, torturas, repressões. Quando o tema é Islamismo (suas crenças, práticas), no primeiro momento, muitos têm impressões ruins sobre o assunto. Pensam em casos an- teriores de terrorismo executados por pessoas do Estado Islâmico (EI) e são incapazes de negar e se desvincular de qualquer ensina- mento obtido pelos meios de comunicação. 

 

Análise Social 

O terror é o "fazer acreditar"

Editorial

A coisa mais constante que observei, em minha leitura dos textos desta edição, foi a tentativa de nossos articulistas de definir o termo "terrorismo". Na maioria das vezes, a fim de impor limites aos pontos que pretendiam abordar. Pois bem, para não fugir à regra, busquei também, para este texto, uma boa definição.

Debate

Alysson Huf

 

Quando você recebe a notícia de um ataque terrorista, qual é a primeira imagem que vem à sua mente? Muçulmanos radicais atirando pra todo lado e/ou se explodindo. Acertei? Provavelmente acertei - e isso não é nada bom. Se pararmos para pensar, para nós, ocidentais, o islã se tornou sinônimo de terrorismo, miséria e retrocesso. Tem muita gente por aí que enxerga os atos de terror como fruto exclusivo do Islamismo e de um punhado de outras seitas religiosas fanáticas. 

Farinha do mesmo saco

Entrevista

Daniela Fernandes

 

Conversamos nessa edição de “Terrorismo” com o professor de Relações Internacionais da Universidade de Vila Velha - UVV, Helvécio de Jesus Junior. Confira a entrevista concedida ao Canal da Imprensa. 

A implementação da Chari'ah

Análise

Thamires Mattos

 

Já ouvi falar que alunos mais organizados são mais inteligentes e tiram melhores notas. Se essa regra metódica se aplicar a jornais, o The New York Times tem muitas habilidades. No quesito “terrorismo”, esse “caderno” americano está organizado por número de páginas, marcadores especiais, canetinhas coloridas e setas gigantes que apontam para tópicos importantes – quase todos, no caso. 

 

Essência sem delongas

The New York Times

Análise

Terrorismo global

Chrissye Neto

 

O terrorismo é um fenômeno fácil de reconhecer, mas difícil de definir. Em meio à várias denominações, pode-se dizer que o terrorismo é um método psicológico que comete repetidas ações violentas, realizadas por pessoas, grupos clandestinos ou estado. 

O Globo

Aline Oliveira

 

O que vem em nossa mente ao falarmos de terrorista é a imagem de uma pessoa do 

O lado humano dos terroristas

Oriente Médio, com barba e cabelos grandes, convicções religiosas extremas e sem medo de machucar pessoas inocentes. Ao contrário do que foi mencionado logo acima, o filme Paradise Now mostra uma realidade desconhecida por muitos da nossa sociedade. 

Sessão Cultural

Videocast

Nosso videocast em breve será atualizado com produções da TV ABJ. Aguardem!

Análise

Letícia Trindade

 

De acordo com o dicionário Aurélio, terrorismo é um conjunto de atos de violência cometidos por agrupamentos revolucionários ou um sistema de governo por meio de terror ou de medidas violentas. Desde 2001, quando teve o mais conhecido ataque terrorista, que aconteceu na cidade de Nova Iorque contra as torres gêmeas, no dia 11 de setembro, a opinião mundial...

Veja

A relação da Veja com o terrorismo

pelas mídias

Análise

A transparência do terror

Benaya Vancine

 

Durante a década de 1970, era visto como parte de um contexto revolucionário; hoje, os atos terroristas estão cada vez mais comuns. Definido como um tipo específico de violência física, psicológica, econômica ou religiosa, essas ações estão diretamente ligadas à política.

BBC

Terrorismo

alimentado

Thamires Mattos

 

Em 2008, dez anos após o fim das atividades do RAF, o filme alemão O Grupo Baader-Meinhof, baseado no best-seller homônimo de Stefan Aust, resolveu abordar

Libertinagem ou liberdade?

Sessão Cultural

as relações entre os membros da guerrilha, seus conflitos e os atentados. 

Análise

Aline Oliveira

 

Assistindo a um seriado policial americano, me deparei com uma cena peculiar. Policiais procuravam o responsável pela implantação de uma bomba nuclear na cidade de Nova Iorque. De acordo com o caráter xenófobo e preconceituoso das autoridades norte-americanas da série, o principal suspeito só poderia ser o personagem palestino. Porém, uma surpresa escandalizou à todos. 

A pregação do terrorismo

CNN

Reportagem

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now